27 C
Cuiabá

GREVE: Servidores farão mobilização no Teatro da UFMT nesta quarta-feira (10)

Os trabalhadores técnico-administrativos da UFMT confirmaram para quarta-feira (10.04) um novo ato de greve. Desta vez, a mobilização será realizada no Teatro da UFMT, às 14 horas. Eles farão a avaliação do relatório apresentado nacionalmente ao Governo Federal pelo Grupo de Trabalho da carreira, onde constam todas as reivindicações da categoria, assim como a fundamentação teórica e prática para cada ponto. Os técnicos administrativos da UFMT estão em greve desde o dia 14 de março.

“Nós sempre falamos, a greve é a nossa última forma de pressionar o Governo pela recomposição dos nossos salários. Nosso último reajuste foi em 2017, tivemos uma reposição emergencial em 2023, mas acumulamos uma perda de 35%. O Servidor da educação tem o menor salário do serviço público no executivo Federal. Nos cargos de nível médio, a remuneração base bruta é de R$2400”, destacou a coordenadora geral do Sintuf-MT, Luzia Melo. “O resultado disso é que a cada ano, mais servidores deixam a carreira em busca de novas oportunidades, alcançando uma taxa alarmante de evasão e, por consequência, a diminuição na qualidade dos serviços prestados”, completou Luzia.

Nacionalmente, o Comando Nacional de Greve (CNG) enviou um ofício ao Governo referente à implantação do reajuste dos benefícios de auxílio alimentação, auxílio creche e per capita de saúde suplementar a partir de 1º de maio de 2024. Para este ano, a União prevê elevar o auxílio-alimentação de R$ 658 para R$ 1 mil; a contrapartida dos planos de saúde de R$ 144 para R$ 215; e o auxílio-creche de R$ 321 para R$ 484,90. As mudanças representarão 51,06% de reajuste nos auxílios.

“O Comando de Greve ratificou o aceite desses reajustes, porém ressaltou que tais medidas não contemplam aposentados e pensionistas da categoria, tampouco representam uma reposição das perdas salariais acumuladas nos últimos anos. O aceite dos benefícios não pode estar condicionado à proposta de reajuste zero para 2024. Precimos ampliar a pressão para que a negociação continue acontecendo, para tratar da pauta salarial, benefícios e o revogaço”, avaliou a coordenadora administrativa do sindicato, Marillin Castro.

O Governo manifestou que os benefícios só serão concedidos mediante a assinatura de um acordo entre as entidades em uma reunião emergencial que deve ocorrer até o dia 15 deste mês, a fim de que possam ser incluídos na folha salarial de maio/24, ou podendo ser incluídos na folha de junho com pagamento retroativo.

Compartilhar post:

Popular

Mais como isso
Related

CNG da FASUBRA participa de Audiência Pública no Senado Federal: o combate à LGBTIfobia

Na última quarta-feira, 15 de maio, aconteceu na Comissão...

CNG da FASUBRA participa de Audiência Pública da Comissão de Educação da Câmara dos Deputados

O Comando Nacional de Greve – CNG da FASUBRA...

Ato unificado marca 5º Café da manhã com Lula

Na manhã desta sexta-feira, 17 de maio, aconteceu mais...

Novo Ensino Médio é uma ameaça ao futuro da classe trabalhadora

O Novo Ensino Médio (NEM), elaborado no governo do...
Feito com muito 💜 por go7.com.br