32 C
Cuiabá

Técnicos da UFMT entram em greve por tempo indeterminado

Os trabalhadores técnico-administrativos da UFMT aprovaram entrar em greve por tempo indeterminado a partir desta quinta-feira (14.03). O movimento paredista é uma orientação nacional da Fasubra, sendo que os serviços essenciais da universidade serão mantidos em 30%. A guarita que dá acesso a UFMT via bairro Boa Esperança será fechada como ação estratégica para reduzir a movimentação no campus. Já a guarita da avenida Fernando Correa ficará aberta, porém com panfletagens e ações dos trabalhadores.

Acesse fotos da assembleia geral aqui

“Cerca de 60 universidades federais já aderiram a greve, considerando que o Governo Federal apresentou uma proposta com 0% de reajuste aos trabalhadores. Nós temos os menores salários de todo o Poder Executivo Federal. Não dá para continuar com essa situação. O Governo simplesmente concedeu reajustes esse ano para carreiras que possuem um salário muito maior, lutamos pela isonomia, pelo respeito a educação”, destacou a coordenadora geral do Sintuf-MT, Luzia Melo.

O Comando Local de Greve esteve reunido nesta segunda-feira (11.03). Ficou definido como setores essenciais da UFMT: Segurança, Biotério, Hospital Universitário Júlio Muller e Hospital Veterinário. Outros setores também tiveram seu funcionamento parcial destacado como prioritário, são eles: Progep – Financeiro (funcionamento para confecção da folha de pagamento), Proad (Compras e atividades com prazos legais), STI (a discutir funções internas), Secom (Televisão), CASS (apenas o ambulatório). A orientação do Comando de Greve é que cada setor se reúna para organizar as escalas respeitando o percentual de 30%, logo em seguida os documentos devem ser encaminhados para validação do Comando de Greve.

“Todo o trâmite a partir deste momento deve ser feito via Comando de Greve. Os setores que entenderem que possuem funções essenciais, ou seja, que a interrupção das atividades causem prejuízos profundos para UFMT, devem encaminhar formalmente ao Comando suas considerações, sendo que o mesmo irá deliberar com toda tranquilidade e amparo jurídico”, destacou a coordenadora administrativa do Sintuf, Marillin Castro.

Deflagração da greve nacional da categoria.

São eixos da greve:

– Reestruturação do Plano de Cargos e Carreira dos Técnico-administrativos em Educação com orçamento necessário – incluindo a recomposição salarial.

– Recomposição orçamentária das instituições no mínimo ao patamar de 2015;

– Revogação da IN /2023 que impede direito de greve;

– 30 horas para todos;

– Não ao ponto Eletrônico;

– Reposicionamento dos aposentados;

– Reposição do quadro, concurso já para todos os cargos – chega de terceirização;

– Deposição dos Reitores Interventores.

– Fim da lista Tríplice – Paridade nas eleições para a Reitoria.

– Normatização do artigo 76 da Lei 8.112/90 – horas fixas.

– Normatização do Plantão 12/60 nos HU;

– Contra a Reforma Administrativa;

– Revogação da Lei da EBSERH.

– Fim das normativas que dificultam o direito à insalubridade.

Compartilhar post:

Popular

Mais como isso
Related

CNG da FASUBRA participa de Audiência Pública no Senado Federal: o combate à LGBTIfobia

Na última quarta-feira, 15 de maio, aconteceu na Comissão...

CNG da FASUBRA participa de Audiência Pública da Comissão de Educação da Câmara dos Deputados

O Comando Nacional de Greve – CNG da FASUBRA...

Ato unificado marca 5º Café da manhã com Lula

Na manhã desta sexta-feira, 17 de maio, aconteceu mais...

Novo Ensino Médio é uma ameaça ao futuro da classe trabalhadora

O Novo Ensino Médio (NEM), elaborado no governo do...
Feito com muito 💜 por go7.com.br