27 C
Cuiabá

Trabalhadores estatutários do HUJM decidem entrar em greve

download panfleto_hujm_greve__1_.pdf

Os trabalhadores estatutários do Hospital Universitário Júlio Muller aprovaram por unanimidade entrar em greve contra a Portaria da Ebserh que revogou a jornada flexibilizada de 30 horas semanais. A decisão foi tomada nesta segunda-feira (18) em assembleia com mais de 200 trabalhadores. Na próxima quarta-feira (20) eles farão um ato no Conselho Universitário cobrando apoio da UFMT para a reivindicação.

“Em nenhum hospital universitário do Brasil se têm jornada de 40 horas, por um motivo muito simples. O trabalhador que atua 8 horas diárias precisa de um intervalo de duas horas de descanso. Se um paciente passa mal neste período, o que acontece? Como explicar para um familiar que alguém teve seu quadro agravado, ou mesmo faleceu, porque o trabalhador estava em seu horário de almoço? Essa portaria é uma tragédia anunciada, e os trabalhadores não vão carregar este crime nas costas”, destacou o coordenador geral do Sintuf-MT, Fábio Ramirez.

Para a coordenadora administrativa do sindicato, Leia de Souza Oliveira, o HUJM convive com uma gestão cujo perfil empresarial, aprofunda distância entre os HU´s e as Universidades. “A missão primeira do HUJM como unidade acadêmica, estratégica para a produção e construção do conhecimento e formação de profissionais comprometidos com a transformação da realidade desigual desse país está sendo desconsiderada. Quanto às promessas de solução dos problemas de falta de recursos e de pessoal, nada aconteceu. A estrutura cara da EBSERH, provocada pelo alto número de chefias, com altos valores das funções, pela superestrutura da matriz em Brasília, má gestão administrativa e financeira e desvios de recursos públicos, demonstra uma contradição na gestão”.

Em panfleto entregue aos trabalhadores, o sindicato questiona como tem dinheiro para manutenção da máquina burocrática, e não tem recursos para contratar mais pessoal.  

A resolução que suspende temporariamente a jornada flexibilizada no HUJM, prevista desde o Decreto 1590/1995 foi assinada pela superintendente do Hospital, Elisabet Aparecida Furtado. A Portaria têm previsão de entrar em vigor no dia primeiro de abril de 2019. Trata-se de uma ação que atinge exclusivamente os trabalhadores estatutários, ligados à UFMT. A medida não interfere nos trabalhadores CLtistas, ligados a Ebserh.

 

Matéria Daniel Dino

Assessoria Sintuf-MT

Compartilhar post:

Popular

Mais como isso
Related

GREVE: Técnicos da UFMT avaliam nova proposta do Governo Federal

Os trabalhadores técnico-administrativos da UFMT fizeram o debate sobre...

Sintuf convoca assembleia geral de greve para quinta-feira (13)

O Sindicato dos Trabalhadores Técnico-administrativos em Educação da Universidade...

CNG DA FASUBRA ORIENTA: JORNADA DE LUTAS

Essa semana o governo enviou oficialmente, ao Comando Nacional...

Domingo: Sintuf convoca nova caravana

O Comando de Greve da UFMT convoca os servidores...
Feito com muito 💜 por go7.com.br