18 C
Cuiabá

Sintuf-MT cobra reunião com Reitoria, acesso a dados financeiros da instituição e retomada de direitos

O Sintuf-MT comunicou oficialmente a Reitoria sobre a adesão dos trabalhadores técnico-administrativos da UFMT a Greve Geral da Educação, que será realizada nos dias 02 e 03 de outubro. Por meio do SEI 1836766/2019, o sindicato reitera a garantia do livre direito dos trabalhadores da universidade participarem da luta nacional unificada contra os cortes da educação e o Future-se.

Faça download dos documentos no final da matéria

Como parte da agenda, a entidade ainda solicitou uma reunião com a Reitoria por meio do SEI 1836981/2019. Caberá a administração da UFMT informar qual horário irá atender aos seus trabalhadores. Outra cobrança do Sintuf-MT foi em relação a solicitação de informações sobre os dados técnicos e orçamentários, que justificam as decisões do Oficio Circular de nº 10, que instituiu uma série de cortes no campus, entre eles a Jornada Contínua dos trabalhadores. AS informações devem ser respondidas por meio do SEI 1837179/2019. 

“Estes processos são parte do resultado da assembleia geral realizada na segunda-feira (24). Os trabalhadores de forma conjunta e organizada farão o enfrentamento em defesa da educação pública, gratuita e de qualidade. Temos uma luta nacional que desafia a organização sindical, social, e que pode refletir por muitas gerações. Infelizmente precisamos destacar forças para uma luta local que poderia ser evitada caso a Reitoria agisse com democracia em sua gestão”, destacou o coordenador geral do Sintuf-MT, Fabio Ramirez.       

Ele ainda explicou que a posição apresentada pela mesa durante a assembleia geral do Sintuf foi de caminhar para uma greve uma greve geral por tempo indeterminado, mas que essa greve só pode ser vitoriosa se for unificada nacionalmente, com professores, técnicos-administrativos, trabalhadores e professores dos IF's e onde puder os estudantes. “O Sintuf acha fundamental a construção dessa greve, mas que ela tem que ser de massas e mobilizada. Somos contra uma greve isolada, de somente algumas universidades, ou somente os técnicos-administrativos. Este Governo precisa cair, e essa posição foi aprovada pela maioria dos presentes na assembleia. Os técnicos estão com salários defasados, sendo que nossa Federação já fez seis tentativas de negociar uma campanha salarial com o Governo, todas sem resposta”.

A Greve Geral da Educação tem sido convocada pelas federações que representam estudantes, técnicos e professores (Ubes, UNE, Fenet, ANPG, Andes-SN, Sinasefe e Fasubra).

download sei_ufmt___1836766___paralisacao_dias_2_e_3.pdf

download sei_ufmt___1836981___solicitacao_reuniao_com_reitora.pdf

download sei_ufmt___1837179___acesso_a_dados_tecnicos_e_orcamentarios.pdf

 

Jornalista Daniel Dino

Assessoria Sintuf-MT

Compartilhar post:

Popular

Mais como isso
Related

Colações de grau não são consideradas serviços essenciais

O Comando de Greve dos Técnicos Administrativos da Universidade...

Tentativa de Golpe

O SINTUF vem a público informar que está havendo...

Nota de Esclarecimento sobre a Greve dos Técnicos Administrativos da UFMT

O Comando de Greve dos Técnicos Administrativos da Universidade...

Comando de Greve debate funcionamento do Hospital Veterinário da UFMT em Sinop

O funcionamento do Hospital Veterinário da UFMT em Sinop...
Feito com muito 💜 por go7.com.br