27 C
Cuiabá

Sindicato cobra ações urgentes no HUJM para evitar contaminação geral pela Covid-19

Os trabalhadores do Hospital Universitário Júlio Muller estão preocupados com a falta de estrutura e protocolos adequados para lidar com a Covid-19. Atualmente todos os leitos reservados para atender aos casos graves da doença estão ocupados, sendo o risco de contaminação nos demais setores e pacientes da unidade está eminente. O Sindicato dos Trabalhadores Técnico-administrativos da UFMT (Sintuf-MT) oficiou a direção do hospital cobrando providências imediatas. 

“Recebemos denúncias de várias situações gravissimas dentro do hospital. Não nenhum tipo de isolamento entre os funcionários que estão trabalhando no setor dos pacientes da Covid-19 e os demais membros do hospital. Até pela questão de infraestrutura, médicos, enfermeiros e equipe de limpeza podem se transformar como vetores da doença”, destacou a coordenadora de administração do sindicato, Leia de Souza Oliveira. 

No ofício enviado, o sindicato pontua: 

– Trabalhadores saindo do setor usando as vestimentas de uso exclusivo, indo até a portaria buscar alimentação pedida externamente; 

– Trabalhadores responsáveis pela limpeza circulando pelos corredores com as vestimentas exclusivas do setor; 

– Trabalhadores do CME entrando na ala exclusiva e privativa sem a prevenção e preparação correta para buscar material e roupas. 

– Trabalhadores que estão na ala privativa e exclusiva a Covid-19, estão sem lugar para repouso, sem tirar as roupas repousam com os demais de outros setores, ex: os fisioterapeutas. 

– Trabalhadores do registro reclamam que os médicos vão com roupas privativas e exclusivas do setor para encaminhar internações dos pacientes da ala da Covid-19. 

“O que nos preocupa e agrava ainda mais a situação é o fato de que essa exposição externa com as vestimentas exclusivas e privativas ocorreu com autorização informal do responsável pela CCIH, que alega que o hospital não tem vestimenta suficiente para troca”, reforçou a coordenadora geral do Sintuf, Luzia Melo. 

Durante reunião da diretoria do sindicato, foi considerado que o HUJM possui uma estrutura antiga, que não abriga setores isolados, onde todos se interligam por um corredor. “É neste sentida que cobramos soluções urgentes, aberturas de acessos exclusivos, mas tudo tem que ser imediatamente, antes que a situação se torne irrecuperável. Os funcionários estão ficando doente e pode acontecer do hospital não conseguir atender seus pacientes por falta de pessoal”, explicou Luzia.

 

jornalista Daniel Dino

assessoria Sintuf-MT

Compartilhar post:

Popular

Mais como isso
Related

CNG da FASUBRA participa de Audiência Pública no Senado Federal: o combate à LGBTIfobia

Na última quarta-feira, 15 de maio, aconteceu na Comissão...

CNG da FASUBRA participa de Audiência Pública da Comissão de Educação da Câmara dos Deputados

O Comando Nacional de Greve – CNG da FASUBRA...

Ato unificado marca 5º Café da manhã com Lula

Na manhã desta sexta-feira, 17 de maio, aconteceu mais...

Novo Ensino Médio é uma ameaça ao futuro da classe trabalhadora

O Novo Ensino Médio (NEM), elaborado no governo do...
Feito com muito 💜 por go7.com.br