29 C
Cuiabá

NOTA NA LUTA PELA APLICAÇÃO DO DECRETO 4836/2003 NA UFMT

NOTA NA LUTA PELA APLICAÇÃO DO DECRETO 4836/2003 NA UFMT

A luta apenas começou….

TRABALHAR 06 E ATENDER 12 HORAS

 

Companheiros(as),

 

Dando sequência aos trabalhos de negociação da pauta interna, desenvolvido pela comissão central, instituída através de portaria da reitoria, o Sintuf-MT iniciou a campanha pela implementação da jornada ininterrupta de trabalho na UFMT com turnos contínuos de 06 horas, de acordo com o Decreto 4836/2003.

Já realizamos dois seminários para debater junto à administração esse tema. Concomitantemente, lançamos as peças da campanha, composta por folders, adesivos e cartazes. Em seguida passaremos à próxima etapa que é a visita às unidades da universidade.

A sua participação é fundamental!

Solicitamos que nos ajudem a divulgar essas peças da campanha junto aos trabalhadores, gestores e usuários. Os trabalhadores de cada unidade terão um papel fundamental nesse processo da seguinte forma:

  1. Reunindo a equipe com a chefia para debater as rotinas e necessidades de trabalho, visando otimizar as atividades desenvolvidas em cada setor.
  2. Elaborar, individualmente, o planejamento de suas atividades com metas definidas.
  3. Elaborar, coletivamente, o planejamento e as metas da equipe.
  4. Esse planejamento constituirá peça fundamental para definir as rotinas e processos de cada setor/unidade, bem como a necessidade de turnos contínuos e ininterruptos.

Estamos convictos da justeza da reivindicação, da necessidade de experimentar essa nova forma de jornada de trabalho. Trata-se de uma mudança que irá ofertar maior qualidade nas atividades desenvolvidas na UFMT, maior produtividade e diminuir o absenteísmo e consequentemente proporcionando qualidade de vida para o trabalhador.

A campanha “Trabalhar 06 e atender 12 horas”, está vinculada à modernização da gestão de trabalho nas instituições públicas, principalmente ao considerar o perfil e necessidade do principal usuário da UFMT. Ela busca a expansão da universidade com ampliação de cursos e projetos de pesquisa e de extensão, aumento do número de alunos trabalhadores e implementação necessária de cursos noturnos, demandando a universidade de funcionamento turnos contínuos, com no mínimo 12 horas ininterruptas.

A metodologia que será utilizada, para ser exitosa, precisa do apoio de cada trabalhador em sua unidade de trabalho.  A pesquisa aplicada, coordenadora pela comissão instituída através da portaria número 938 – proad/2014 – de 11/06/2014, busca o dimensionamento de pessoal nas unidades, mas principalmente servirá de ferramenta  para diagnosticar a natureza, processos administrativos e acadêmicos do “nosso fazer na universidade”, ouvindo os usuários dessas atividades (razão principal da existência da UFMT), os trabalhadores e os gestores. Esse trabalho constituirá a base para a implementação da jornada contínua de trabalho na UFMT (aplicação do decreto 4836). O trabalho tem um prazo de 60 dias para sua conclusão.

Após reunião da comissão central será disponibilizado o cronograma de visita definido pela comissão central e após agendamento nas unidades, será aplicada a pesquisa por membros da comissão central.

O resultado dessa pesquisa subsidiará nossa ação política na conquista da jornada ininterrupta e contínua de trabalho em nossa universidade.

 

VEJA A PORTARIA

Compartilhar post:

Popular

Mais como isso
Related

Em Votação: Assembleia avalia nesta terça proposta do Governo

O Comando de Greve dos trabalhadores técnico-administrativos da UFMT...

GREVE: Técnicos da UFMT avaliam nova proposta do Governo Federal

Os trabalhadores técnico-administrativos da UFMT fizeram o debate sobre...

Sintuf convoca assembleia geral de greve para quinta-feira (13)

O Sindicato dos Trabalhadores Técnico-administrativos em Educação da Universidade...
Feito com muito 💜 por go7.com.br