17 C
Cuiabá

Eleição para reitor (a) da UFMT deverá ser paritária 

Os trabalhadores técnico-administrativos da UFMT, estudantes e professores deram um importante passo em defesa da democracia na instituição nesta quinta-feira (13.02). Durante reunião unificada do Consuni, Consepe e Conselho Diretor da universidade, por 38 votos a 24, eles rejeitaram a instalação de uma comissão eleitoral aos moldes do estabelecido pela Medida Provisória 914/2019. Pela MP, a eleição para reitor da universidade acabaria com a paridade na comunidade acadêmica, impediria a votação dos aposentados, colocaria fim a votação dos diretores de institutos e faculdades, entre outros ataques na autonomia universitária. 

Atualmente, a eleição de reitores na UFMT mantém a paridade entre docentes, técnicos e estudantes. Após todos votarem, é aplicado o cálculo de pesos para que cada segmento tenha 33% de peso no total da eleição. Pela MP 914, professores teriam 70% de peso na eleição, técnicos 15% e estudantes 15%. 

Veja o vídeo explicando a situação:

A MP estabelece ainda que a escolha do vice-reitor será feita pelo reitor e não mais pela comunidade acadêmica, através do voto.  Também será tarefa do reitor a escolha de diretores de unidades e a escolha de diretores gerais dos campi.A Medida Provisória deverá perder sua validade no mês de junho, sendo esta a reivindicação das entidades representativas da UFMT, que o processo eleitoral ocorra nesta data. 

Segundo a coordenadora geral do Sintuf, Luzia Melo, o atual governo ataca frontalmente a educação com seu projeto de sucateamento, especialmente a educação superior pública,  e vêm desde o começo do seu mandato minando a tão frágil autonomia universitária. Autonomia garantida pela Constituição de 88, no seu artigo 207, que afirma: “As universidades gozam de autonomia didático-científica, administrativa e de gestão financeira e patrimonial, e obedecerão ao princípio de indissociabilidade entre ensino, pesquisa e extensão”.

Em nota à imprensa, a  Adufmat-Ssind, em respeito à autonomia universitária, à democracia e à luta histórica que sempre travou, não reconheceu a citada MP, repudiando a posição da Reitoria da UFMT. “ A Adufmat convoca toda a comunidade acadêmica para fazer frente a MP 914/19 e pra lutar pelo reestabelecimento da autonomia universitária”.

 

Daniel Dino

Assessoria Sintuf-MT

Compartilhar post:

Popular

Mais como isso
Related

Assembleia Geral de Greve será nesta terça-feira (28)

O Comando de Greve, por meio da Coordenação Colegiada...

Coletiva de Imprensa: a greve da educação federal e as negociações com o governo

Os CNGs das entidades representativas da educação federal em...

Assembleia Geral 23.05

https://youtube.com/live/w6SuspoRotQ?feature=share

6º Café da manhã com Lula marca os 75 dias de greve da FASUBRA

Nesta sexta-feira, 24 de maio, aconteceu o 6º Café...
Feito com muito 💜 por go7.com.br