22 C
Cuiabá

A UFMT SOB ATAQUE

EM DEFESA DA AUTONOMIA, DEMOCRACIA E LIBERDADE DE ORGANIZAÇÃO E MANIFESTAÇÃO!

As entidades representativas da UFMT, desde as suas criações sempre estiveram ao lado daqueles que lutam em defesa da Democracia, Liberdade de Manifestação, Expressão, Organização e Autonomia das Universidades Públicas deste País. Esses princípios foram frontalmente atacados pela atitude invasiva do Sr. Abílio Brunini ao Diretório Central dos Estudantes (DCE) da UFMT. Eleito em 2 de outubro para a Câmara Federal, o futuro deputado ainda nem tomou posse e já pratica o mesmo modus operandi observado durante seu mandato de vereador por Cuiabá, ao invadir instituições públicas, ameaçar servidores e causar confusão com o objetivo de obter likes e projeção política, a pretexto de estar exercendo o direito constitucional de fiscalização.

Essa afronta ao DCE é um ataque a UFMT e diante disso as entidades não se CALARÃO. Não nos omitiremos diante desse ato de invasão, constrangimento e ameaças a uma entidade representativa de uma Universidade Pública.

A absurda ação espetaculosa do Sr. Abílio, reproduzida no ataque a atividade que será realizada no dia 18 de outubro, em Defesa da educação e contra os cortes e contingenciamentos de recursos das Universidades e Institutos Federais, convocada pelo DCE, SINTUF, ADUFMAT, ANDES- SN, SINASEFE, UNE, UEE, AME, é um ataque a UFMT. Suas ameaças de que mobilizará “a sua tropa” para impedir a Assembleia Estudantil convocada para o dia 17 de outubro no período vespertino, reproduz a prática autoritária, copiado do seu “mito” e reforça a disposição desse Governo Bolsonaro em acabar com as Universidades Públicas desse País.

 

Durante todos esses anos, desde a criação da UFMT em 1970, em plena Ditadura, a comunidade universitária sempre se mobilizou em defesa da Autonomia, Democracia e Financiamento Público dessa instituição. Mesmo com a invasão da Polícia Federal no campus da UFMT, na década de 90, desrespeitando um processo democrático de escolha de reitores, essa comunidade não se omitiu. Foram as ruas, protestar e exigir respeito a CF- 88, que assegura a UFMT e a sua comunidade a liberdade de manifestação e organização.

A liberdade de organização das entidades e da UFMT deve ser mantida e por isso solicitamos do Reitor, autoridade máxima dessa UFMT, que deve zelar pelos princípios que a norteiam, que se manifeste sobre o episódio e propicie todas as condições de segurança para que o movimento discente, docente e técnico-administrativo possa se organizar. Omissão nesse momento favorecerá aos oportunistas de plantão, motivando-os a invadirem a UFMT, como se esta instituição fosse “espaço de bagunça”, onde pode ser provocado todo tipo de agressão e intimidações, práticas contraditórias a existência dessa instituição.

Esperamos que esse ATAQUE, com o único intuito de reprimir o movimento estudantil e de servidores, não seja naturalizado. Exigimos que a reitoria não se OMITA e saia em defesa da UFMT e de sua comunidade!

Cuiabá, 16 de outubro de 2022

Entidades representativas das IFES.

download nota_conjunta__1_.pdf

Compartilhar post:

Popular

Mais como isso
Related

GREVE: Técnicos da UFMT avaliam nova proposta do Governo Federal

Os trabalhadores técnico-administrativos da UFMT fizeram o debate sobre...

Sintuf convoca assembleia geral de greve para quinta-feira (13)

O Sindicato dos Trabalhadores Técnico-administrativos em Educação da Universidade...

CNG DA FASUBRA ORIENTA: JORNADA DE LUTAS

Essa semana o governo enviou oficialmente, ao Comando Nacional...

Domingo: Sintuf convoca nova caravana

O Comando de Greve da UFMT convoca os servidores...
Feito com muito 💜 por go7.com.br