Cuiabá
Carregando...

? ºC

/

Cuiabá (MT), 18 de novembro de 2018 - 01:36

Documentos

13/09/2018 09:03

Relatório - Reunião com a Reitoria dia 06 de setembro de 2018

 

Reunião Reitoria e SINTUFMT

Data: 06 de setembro de 2018

Horário: 16h00

Pelo SINTUFMT:  Luzia Melo, Valdelice Ormond, Léia de Souza, Marillin Cunha, Ana Bernardete, Daniele Mauricio.

Pela Reitoria: Reitora Myrian Serra, Vice-Reitor Evandro, Pró-Reitor Administrativo Bruno, Secretário de Gestão de Pessoas Domingos Sávio e a Assessora da Reitoria Bethy.

Pauta:

  1. Demandas do HUJM/SINTUFMT.
  2. Agenda SINTUFMT.

A Coordenadora Geral do SINTUFMT Luzia Melo deu início a reunião entregando oficio para reitora solicitando posicionamento acerca de informações expostas via whatsApp do HUJM sobre reunião do Conselho Consultivo, onde foi tratado assunto relativo a possível afastamento do Superintendente do HUJM, e organização e Comissão de Sindicância para apurar malversação de recursos financeiros daquele hospital.

Solicitamos que a resposta fosse por escrita, para que o Sindicato disponibilizasse a informação oficial da Reitoria quanto ao tema levantado no grupo do HUJM.  

A reitora, no uso da palavra,  disse que desejaria dar início a reunião por este assunto, mas que seria necessário aguardar o Profº Evandro (Vice Reitor) que esteve presente na reunião do Conselho Consultivo da EBSERH. A Reitora passou a palavra para o Profº Evandro, para que mesmo expusesse o ocorrido na reunião do Conselho.

O Prof.º Evandro versou sobre a reunião dizendo que o Superintendente do HUJM, Prof.º Hildevaldo Monteiro Fortes abriu a reunião explicando todas as parcerias efetivadas do HUJM com o Ministério Público Federal, Estadual e do trabalho, apresentando as obras realizadas no HUJM até a presente data.  Disse que todas as ações foram desenvolvidas dentro da legalidade e que todo documentação está a disposição. Em seguida informou que, ao avaliar que a Ouvidoria do HUJM não tinha desenvolvido nenhum trabalho, tomou a decisão junto a direção do HUJM de retirar a ouvidoria, pois a mesma não tinha resultado pelo baixo número de relatos recebidos. Informou aos conselheiros que a ouvidoria só havia recebido apenas 02 relatos e a mesma não estava tendo resultados.  Após a retirada, começaram a chegar denúncias seguidas, de forma anônima, denunciando irregularidades na gestão do HUJM. A Reitora Myriam disse que ao tomar conhecimentos dessas denúncias, prontamente convocou uma reunião com o superintendente do HUJM, onde disse que havia algumas denúncias referentes ao financeiro da gestão do HUJM, e que a reitoria gostaria de ajudar a identificar o problema,  caso o mesmo existisse. Acrescentou que disse ao diretor do HUJM, que poderia ser uma denúncia falsa, e que estava colocando alguém de sua inteira confiança para contribuir com a gestão do HUJM. O perfil seria de uma administradora, que entende de gestão financeira, e que fosse discreta para garantir tranquilidade e cautela na apuração, quando a existência ou não de desvio financeiro e solução dos problemas. Por obrigação, vez que o HUJM continua vinculado a UFMT, solicitou que Valéria fosse ao hospital para a situação, vez que ainda não se tratava de uma sindicância. Se tratava de uma denúncia anônima.

A Reitora informou também que a instauração da comissão para averiguar a denúncia, nunca teve cunho pessoal. Mas a Universidade não podia desconsiderar a gravidade das denúncias e a necessidade de apurá-las.  Disse que haverá necessidade de afastamento do Prof.º Hildevaldo Monteiro Fortes, para apuração dos fatos, vez que o mesmo não pode ser considerado culpado antes do direito a sua defesa diante das acusações. Reafirma o compromisso firmado com o SINTUFMT de manter a consulta, após a apuração dos fatos, caso ocorra a necessidade de saída Prof.º Hildevaldo Monteiro Fortes da administração do HUJM, pois até que seja apurados os fatos, o cargo é do diretor atual.  

O Prof.ª Evandro informou também que na reunião do Conselho o  Superintendente colocou que o laudo foi feito muito rápido. Disse que a juíza da infância que estava presente na reunião colocou que precisava fazer uma sindicância para apuração dos fatos. O prof.º Evandro informou ao Conselho Consultivo que a definição se é Sindicância ou PAD cabe a  comissão. O Prof. Evandro ainda informou que na reunião do Conselho, o superintendente manifestou discordância falando que não foi ouvido, e que teve a informação do Dr. Alan, de que o mesmo foi convidado para assumir a direção do HUJM. Na reunião do Conselho, o Representante dos Técnico-Administrativos Helder disse que o Superintendente não pode ser substituído, pois ele foi eleito pelo voto. O Superintendente Hildevaldo expôs que é necessário que a UFMT tivesse mais diálogo. O Prof. Evandro, após manifestação do técnico Helder, disse que a indicação do superintende é prerrogativa da reitora,  que a consulta se deu garantindo a cultura da UFMT. A consulta paritária é informal, não é eleição. É o mesmo procedimento que ocorre para Reitoria, pois a lei determina peso diferenciado para os membros da comunidade, e a consulta foi paritária. A atual gestão mantém essa cultura, pois a mesma integra um dos princípios do processo democrático, e é uma demanda da comunidade universitária. Disse ainda que é princípio também dessa gestão apurar todas denúncias, e que a comissão de processo administrativo é que definirá se é sindicância ou PAD. Após a apuração, caso haja necessidade de substituição, a reitoria manterá o compromisso de consultar a comunidade democraticamente.

Com a palavra, a Coordenadora Geral Valdelice disse que a comunidade do HUJM e em particular os trabalhadores RJU, querem saber o porquê de estar fechando os atendimentos de áreas estratégicas do HUJM. Disse que não há transparência nas informações.  Fecha leitos ... abre leitos... sem que sejam explicitados os motivos.

Com a palavra a coordenadora Léia, solicitou que a reitoria colocasse oficialmente todas as informações apresentadas nessa reunião, que serão apresentadas ao conjunto da categoria.  O Sintuf vai trabalhar apenas com as informações oficiais.

A coordenadora Luzia, disse que a  forma que a categoria tomou conhecimento do ocorrido via whats do HUJM/RJU, onde foi dito que o processo de consulta seria desrespeitado.  Por isso é importante o conhecimento de todo o ocorrido. Em seguida cobrou o resultado da Roda de Conversa, que até a presente data nada foi resolvido.

A coordenadora Ana Bernardete agradeceu o Domingos que está sempre junto nas demandas do sindicato e que independente de tudo o Domingos defende os servidores no HUJM. Disse que ele sempre pede que os problemas do hospital não atrapalhem o relatório de desempenho dos servidores.

A coordenadora Léia, disse que os trabalhadores do HUJM vem sofrendo ameaças de fim da jornada ininterrupta de 30 horas semanais.  Inclusive com manifestações de que a reitoria usou dessa bandeira para se eleger. Destacou que a jornada de 30 hs é conquista da categoria e que a mesma está assegurada na Dec. 1590/2003.  Destacou que não é justa essa situação e instabilidade. Cobrou a aprovação da Portaria que define a metodologia da construção da escala, que resultou de um longo trabalho, com a participação de representantes do sindicato, e da gestão RJU e EBSERH.  Disse não achar justo ficar todo momento chefia ameaçando trabalhador com algo que foi conquistado com muita luta.

A Reitora – Informou que a manutenção da jornada ininterrupta de 30 horas foi um compromisso de campanha e que a mesma é legal e de direito, dado a natureza das atividades desenvolvidas pelo HUJM.

O Secretário de Gestão Domingos – Informou que ficou claro que o mérito da jornada ininterrupta de 30 horas é legal, e que esse assunto não pode voltar a todo momento.  Essas falas precisam ser desconstruídas. Com relação ao resultado da roda de conversa, cobrou o resultado da mesma. Já foi feito um cronograma sobre os problemas e no dia 10 de setembro - segunda-feira, será definido as demandas levantadas com prazo de resolução.

O  Prof.º Evandro – Afirmou que o encaminhamento na comissão das 30 horas no hospital é de  fazer uma comparação de como está o atendimento hoje 30 horas e de como era antes com 40 horas.

A coordenadora Léia, relatou que mantém sua posição contrária a transferência da gestão do HUJM para a EBSERH. Que o disponibilizado orçamentário é muito maior, e que os problemas continuaram, mesmo com o aumento de pessoal, que possuem salários maiores do que do RJU.  O que mudou então? Onde está a competência da gestão, vez que a Universidade era incompetente para gerir o HUJM? O que aconteceu, foi aumento do número de terceirizados, a implantação da quarteirização e mesmo assim está fechando leitos. Informou que o SINTUFMT junto a FASUBRA estará fazendo denúncias dessas contradições. O que está acontecendo no HUJM também ocorre em outros hospitais O TCU tem que avaliar se a justificativa do governo ao criar a EBSERH foi atendida.

A coordenadora Daniela, disse aguardar a manifestação da reitoria, e que o relato do Professor Evandro está de acordo com o relato feito pelo técnico Helder.

A Reitora – afirmou que o professor Hildevaldo não foi afastado. Que será colocada uma pessoa somente para substituir. Se o PAD durar 60 dias essa pessoa ficará no lugar do professor somente 60 dias. E que o conteúdo das denúncias é sigiloso.

A Reitora informou também sobre a Portaria para a  definição da metodologia da confecção da escala. Disse que recebeu do superintendente um ofício solicitando que o assunto das escalas não viesse em pauta no CONSUNI.

A coordenadora Léia disse que o HUJM tem que ser pautado no CONSUNI.  Afinal o HUJM pertence a UFMT. E que vai solicitar oficialmente a inclusão na pauta do HUJM a aprovação da Portaria metodologia da escala e informes sobre o ocorrido.

A coordenadora Luzia disse que um dos assuntos que foi levantado pela CGU foi o excesso de atestados. O sindicato solicitou via ofício para gestão do HUJM – Relatórios de atestados separados por categoria: Servidores RJU e trabalhadores da Ebserh nos últimos 8 meses.   Da mesma forma o aumento de APH não é responsabilidade dos trabalhadores RJU. Por isso a jornada não deve ser prejudicada em função e problemas de gestão.

O Secretário de Gestão Domingos – Informou que foi solicitado fazer monitoramento de licenças.

A Coordenadora Luzia – Questionou sobre a reposição das vagas oriundas de aposentadoria no HUJM/RJU?

A coordenadora Marillin – Informou que para cada aposentadoria do RJU, a Ebserh tem que repor a vaga e que esse processo tem de ser cobrado pela UFMT.

O Secretário Domingos, informou que será feito plantão da Gestão de pessoas a noite no HUJM por Domingos Sávio e João Bosco Cajueiro. E que foi disponibilizado mais um trabalhador RJU para DIVGP.

A Reitora  fez um resumo dos pontos debatidos, sendo eles:

  1. Prazo até 11/09 da manhã para entregar relatório sobre situação do HUJM referente ao assunto discutido no Conselho Consultivo.
  2. Cobrar da Ebserh as vagas dos concursos públicos das aposentadorias geradas.
  3. Cobrar a gestão do HU sobre o fechamento dos leitos (Sintuf tem que mandar relatório dos leitos fechados e por quê?)
  4. Reafirmar o compromisso da gestão com a manutenção de jornada ininterrupta de 30 horas no HUJM, conforme legislação.
  5. Incluir como pauta no CONSUNI metodologia de construção da escala do HUJM.
  6. Solicitar relatório de atestados e licenças diferenciado RJU e Ebserh.

Nada mais havendo a ser tratado, eu, Flávia Soares, lavrei o presente relatório que vai por mim e pela Coordenadora Geral Luzia Machado de Melo, devidamente assinada.


CHÁCARA DO SINTUF

Redes Sociais

Sintuf-MT

Av. Fernando Corrêa da Costa, s/nº. - Campus Universitário - Coxipó - MT - 78060-900

Tel: (65) 3028-2924 | Fax: (65) 3028-2925

E-MAIL:

sintuf@terra.com.br 

SEDE DO SINTUF-MT

Crie seu novo site AgenSite
versão Normal Versão Normal Painel Administrativo Painel Administrativo